Luz e Glória

Meditação do dia 18/02/2017    

 Is 60.1 Levanta-te, resplandece, porque vem a tua luz, e a glória do SENHOR vai nascendo sobre ti;

Luz e Glória – Para alguns estudiosos das Sagradas Escrituras, o livro do profeta Isaías, é de certa forma uma síntese da Bíblia toda. O total de 66 livros fica representado pelo mesmo número de capítulos; ao mesmo tempo que o Velho testamento tem uma temática mais específica e um modo de mostrar o trato de Deus com Israel, como seu povo da aliança, iniciada em Abraão; também os primeiros 39 capítulos são bem mais ligados ao tratamento de Deus com essa nação. Os últimos 27 capítulos de Isaías, são bem mais proféticos o sentido de previr e antecipar o futuro, ainda que utilizando uma linguagem alusiva a Israel e seu Messias restaurador. O Novo Testamento, com seus 27 livros, com a vida e obra de Cristo, o início da história da igreja e seu desenvolvimento, findando com Apocalipse e suas profecias futuristas e o desfecho da obra da redenção em Cristo e chegando à eternidade. Os hebreus alimentavam e certamente ainda mantém seus corações cheios de esperança de que serão ainda uma nação poderosa e abençoada sob uma liderança forte e justa, abençoada por Deus através de um descendente do rei Davi. Eles nunca perderam de vista a idéia de que são o povo de Deus, que seu destino é eterno e sob a liderança de Deus, o Deus de Israel ainda serão tudo o que está escrito e destinado nas profecias das Escrituras. Esperam a restauração do reino, do sacerdócio, o livramento de seus inimigos e nações hostis. Na cabeça deles, o grande templo voltará a ser reedificado e terão ainda como povo a glória dos velhos tempos e ainda mais. Como cristãos, somos também herdeiros das promessas divinas à Abraão, aos patriarcas e por extensão a todo o povo de Deus. Provavelmente alimentamos uma interpretação mais espiritualizada das Escrituras e profecias, pelo fato de conhecermos e reconhecermos a Jesus Cristo, como o Messias, que veio e não foi reconhecido pelos seus. Veio para o que era seu, e os seus não o receberam. Mas, a todos quantos o receberam, deu-lhes o poder de serem feitos filhos de Deus, aos que crêem no seu nome (Jo 1.11,12). Esperamos a plena redenção das nossas vidas, iniciada com o novo nascimento e o desenvolvimento da vida cristã, com a justificação, santificação, com vistas à glorificação final com o advento do Arrebatamento, envolvendo também a ressurreição dos justos. Esperamos estar na glória, com Cristo e tudo o que ele prometeu que estaria preparando para quando viesse nos buscar. Luz gloriosa, permanente, onde se desconhece a necessidade da luz e energia do sol, tal qual temos hoje, nessa vida e nesse sistema, para nós, ainda está por vir. Mas a graça e a bondade do Senhor nos permite andar em vitória, resplandecermos a sua imagem e abençoarmos as pessoas ao nosso redor com o brilhante testemunho de vida. Nosso futuro, é certamente de glória!

Senhor, tu és o tudo de que precisamos e viremos a precisar em qualquer época por toda a eternidade. Obrigado pela vida de Jesus em nós, e por tua graça, que nos permite sermos chamados de filhos de Deus. Em nome de Jesus, amém.

Pr Jason

Deus é Ilimitado

Meditação do dia 17/02/2017    

Is 59.1 Eis que a mão do SENHOR não está encolhida, para que não possa salvar; nem agravado o seu ouvido, para não poder ouvir.

 Deus é ilimitado – Por que parou? Parou por que? Lembro-me da diversão quando garoto, ao ver alguém usando uma mangueira para irrigar ou lavar alguma coisa, e no meio da tarefa, o fluxo de água acabava, para e o usuário ficava surpreso ao ver que a mangueira havia se dobrado nos movimentos e cortar o fluxo; outras vezes, quando ele ia verificar, descobria que alguém propositadamente estava pisando sobre a mangueira, ou a dobrava, fazendo uma espécie de pegadinha. Quando era uma criança pequena segurando a mangueira, normalmente ele se surpreende e vai olhar dentro da mangueira para ver porque a água não está mais saindo. Isso me faz pensar sobre muitos cristãos descuidados com a vida e a santidade ou o relaxamento que toma conta de sua vida e enquanto o fluxo da bênção de Deus não é interrompido, eles não se preocupam e nem verificam mais nada, pois tudo continua certo, tá tudo indo bem. Quando são surpreendidos com a interrupção ou alguma coisa mais séria lhes sucede, eles ficam como que admirados de algo estar acontecendo, “sem nenhuma razão!” Nosso relacionamento com Deus tem bases muito sólidas e firmada em uma aliança eterna, garantida por Cristo. A nossa posição oficial diante de Deus é de filhos, amados, aceitos, acolhidos, herdeiros dele e coerdeiros com Cristo. Temos acesso ao Pai, à sala do trono em todo tempo e com liberdade de apresentar quaisquer necessidades ou demandas nossas. Mas, esses direitos e privilégios, não altera o fato de que Deus ainda é Deus, Santo, justo, grande, digno de todo o respeito, reverencia e sabemos muito bem que ele gosta de decência e ordem no trato de suas coisas. Não é verdade, a imagem que muitos fazem de Deus, como sendo um “velhinho carrancudo, mau humorado” que vive andando atrás da gente com uma lanterna numa mão e um porrete na outra, e assim que flagra alguém em erro, “Zaaap!!!” Paulada na moleira! Muitos cristãos foram ensinados que devem ter muito medo da “mão de Deus” pois quando ele a pesa sobre alguém, não sobra nada! Nosso Pai Celeste não tem essas características, definitivamente não tem! Mas também ele não faz vista grossa e deixa passar tudo e qualquer coisa, porque nos ama. Não deixamos de ser filhos, só porque erramos ou pecamos! Assim como ninguém perde a paternidade e os cuidados paternais humanos, por errar ou desobedece-los. Mas também não se pode omitir a disciplina e a correção necessária de acordo com o grau da prática errada, exatamente visando corrigir e restaurar o processo de treinamento e preparo na vida do filho. O fluxo da graça e da bênção de Deus, jamais é interrompido porque do lado divino faltou recursos, ou ele e encontra desprovido de meios e condições. Seus ouvidos sempre desfrutam de boa condição de saúde e suas mãos não tem problemas de atrofiamentos ou limitações. Deus pode ouvir em todo tempo, ajudar em todo tempo e seus recursos continuam ilimitados, porque ele é ilimitado. Nós, é que precisamos olhar para trás e ver se nós mesmos ou alguém brincalhão não está pisando na mangueira e cortando o fluxo. Nossos pecados e vida desregrada ou descuidada são as possibilidades mais comuns, mas sempre do nosso lado.

Senhor, obrigado por ter riqueza de generosidade e recursos inesgotáveis disponíveis aos teus filhos, todos os dias, de geração em geração. Permita, nos mantermos alertas e atentos para que o pecado e os erros corriqueiros não impeça o fluir da tua graça sobre nossas vidas. Em nome de Jesus, amém.

Pr Jason

Religião Não Basta

Meditação do dia 16/02/2017    

  Is 58.3 “…Por que jejuamos nós, e tu não atentas para isso? Por que afligimos as nossas almas, e tu não o sabes?

 Religião não basta – Esse capítulo 58 de Isaías merece ser lido e estudado na íntegra, e fazer anotações e classificar os assuntos, talvez até fazendo uma tabela que permita confrontar as idéias ali expostas. Por um lado as pessoas arrazoam diante de Deus que elas fazem tudo certinho, se esforçam, sacrificam e são de fato piedosas. Ao mesmo tempo, elas alegam que não conseguem aproximação verdadeira e suas orações não são respondidas e elas não estão recebendo ajuda divina conforme o investimento delas no rituais e cerimonias. Então Deus entra no questionamento delas e mostra que de fato Ele está vendo e ouvindo tudo, está consciente do que estão fazendo para ele e em nome dele. Mas o Senhor apresenta as coisas de um ponto de vista que eles não estão acostumados a ver e nem tampouco interessados em corresponder às expectativas de quem eles cultuavam. É bastante interessante perceber que as pessoas entendem que servir a Deus é uma atividade “extracurricular” que se faz quem quiser, como quiser e quando lhe convier e isso é mais do que suficiente. A opinião de Deus apresentada aqui difere disso redondamente; e a razão básica reside na motivação do porque as coisas são feitas. A motivação por trás das ações, atitudes, pensamentos e serviço para Deus pesa tanto quanto ou ainda mais do que a ação em si. No texto, as pessoas apresentam como exemplo o jejum, que é algo sacrificante, abrir mão de alimentos, ficar com fome o dia inteiro, se privar, ficar fraco, até tonto com cara de espiritual! O Senhor replica-lhes que do jeito deles não há nada de piedoso, espiritual, pois eles estão é “marcando pontos” disputando entre eles mesmos quem faz mais sacrifício, quem renuncia mais e assim recebe mais honras e elogios, ou pode até prometer que será mais usado por Deus, afinal ele vai para o monte e fica “N” dias na presença do Senhor, mas Deus discorda. Então, é mostrado o que é que realmente seria “jejum” que Deus levaria à sério e aprovaria. Tem pouco à ver com comida, refrigerante, chocolate, doces, propósitos e etc. Tem tudo à ver com honestidade, justiça, equilíbrio, respeito ao próximo e humildade legítima diante de Deus e não aos olhos da plateia. No verso quatro o Senhor fala de pessoas que estando em jejum e oração, brigam, trocam socos, insultam e só não fazem mais estragos porque estão fracos por causa do jejum, caso contrário, o Anderson Silva, que se cuidasse, pois os “irmãos o finalizariam” em poucos segundos. É mostrado ao final das reivindicações divinas, como são os resultados verdadeiros quando a obra de Deus é feita da maneira de Deus. A cura, a restauração, a transformação social, a bênção nas gerações, os suprimentos milagrosos e as provisões sobrenaturais que se tornam disponíveis mesmo em tempos difíceis e em condições tão adversas como as citadas no verso 11: E o Senhor te guiará continuamente, e fartará a tua alma em lugares áridos, e fortificará os teus ossos; e serás como um jardim regado, e como um manancial, cujas águas nunca faltam. Acredito piamente nas práticas devocionais e exercícios da vida cristã, como orações, vigílias, Jejuns, batismo do Espírito
Santo, votos, promessas, propósitos, alianças e etc. Mas dentro dos parâmetros bíblicos e para os propósitos a que foram e são destinados. Não aceito como legítimo o uso para fins egocêntricos, manipulação da fé das pessoas, visar lucro e arrecadação, exploração, quer financeira, moral, de serviço, obediência cega e irrestrita à liderança e outras “coisitas mas” que são de praxe. Misericórdia!

Senhor, tende piedade de nós e continue nos mantendo nos limites da verdade e da justiça do reino. Aceito me aquietar debaixo da cobertura do sangue de Jesus e descansar sob os cuidados do meu Senhor. Desejo continuar com a consagração inicial da minha vida e crescer continuamente, sem perder de vista, quem é o Senhor e quem é o servo e especialmente para o que fui chamado e separado por ti. Em nome de Jesus, amém.

Pr Jason

Habitação de Deus

Meditação do dia 15/02/2017    

 Is 57.15 Porque assim diz o Alto e o Sublime, que habita na eternidade, e cujo nome é Santo: Num alto e santo lugar habito; como também com o contrito e abatido de espírito, para vivificar o espírito dos abatidos, e para vivificar o coração dos contritos.

 Habitação de Deus – É de incomparável beleza esse texto sobre a grandeza de Deus, revelando-se em plenitude para não pairar qualquer dúvida sobre seu poder transcendente e inigualável a qualquer outra possibilidade. Para um filho, adorador e que busca se apoiar nas revelações das Escrituras, aqui o coração descansa e a alma suspira de gratidão. É como se após uma vida de tempestades, finalmente encontrar um porto seguro e acolhedor para reparar as perdas e danos e poder se abastecer abundantemente e seguir viagem, agora muito melhor orientado para chegar ao destino final. Isaías profetiza inspirado e por palavra direta de Deus, dando suas credenciais, ou apresentando o seu “Curriculum,” O Senhor identifica-se como o “Alto e o Sublime” que habita a eternidade e cujo nome é Santo. A história e a tradição judaica ensina que essa revelação do nome santo de Deus, como apresentado a Moisés no Êxodo era levado bem à sério, de tal maneira que quase nem era pronunciado para não ser profanado. Não tomarás o nome do Senhor teu Deus em vão; porque o Senhor não terá por inocente o que tomar o seu nome em vão (Ex 20.7). Esse ser tão Sublime, Ato e Santo se revela habitar também em um alto e santo lugar, como é de se esperar de alguém transcendente além de qualquer capacidade humana de compreensão. Isso nos deixaria fora de sua esfera de comunhão e proximidade, afinal somos finitos, incomparavelmente limitados diante dele e obstinadamente pecadores e maculados com nossas ações de rebeldia e independência. Mas de imediato, vem a boa nova de que Ele também habita em outro lugar diametralmente oposto em termos de grandeza, sublimidade e finidade, mas para nossa felicidade, Deus escolheu habitar no coração, ou no termo correto, no espirito de pessoas, porque espírito tem afinidade com espírito, assim como físico tem afinidade com físico. Deus é Espírito e por isso habita no espirito da pessoa, que nesse caso já é habitado pelo Espírito Santo. Deus não habita em qualquer pessoa, e sim nas pessoas nascidas de novo, nascidas do Espírito, onde há vida espiritual pois foi vivificado pela vida de Cristo. Estando nós ainda mortos em nossas ofensas, nos vivificou juntamente com Cristo (pela graça sois salvos) (Ef 2.5). Isso foi o início do processo de restauração promovido pela redenção. A vida espiritual começa com o nascimento espiritual, quando o espírito humano revivido, torna-se a sede, o templo, a morada de Deus em Espírito. Ou não sabeis que o vosso corpo é o templo do Espírito Santo, que habita em vós, proveniente de Deus, e que não sois de vós mesmos? Porque fostes comprados por bom preço; glorificai, pois, a Deus no vosso corpo, e no vosso espírito, os quais pertencem a Deus (I Co 6.19,20). Deus não mudou seu plano e nem seu padrão de santidade onde habita, assim como o céu é santo e digno dele, assim a vida do cristão deve ser mantida em santidade não para agradar ou receber o Espírito de Deus, mas porque já é a morada dele. Santo pelo que é e não para ser! Ora, amados, pois que temos tais promessas, purifiquemo-nos de toda a imundícia da carne e do espírito, aperfeiçoando a santificação no temor de Deus (2 Co 7.1).

Santo, Santo, Santo é o Senhor Deus Todo-Poderoso! Santificado seja, Senhor a tua vontade em nossos corações no dia de hoje e para sempre. Obrigado pela revelação de tua grandiosidade e ao mesmo tempo de se deixar habitar em nossos corações, onde em nome de Jesus, és bem-vindo e com poder e autoridade para promover as mudanças e transformações, não só no templo, mas em toda a nossa vida. Em nome de Jesus, amém.

Pr Jason

Os Diferentes Diante de Deus

Meditação do dia 14/02/2017    

 Is 56.3 E não fale o filho do estrangeiro, que se houver unido ao Senhor, dizendo: Certamente o Senhor me separará do seu povo; nem tampouco diga o eunuco: Eis que sou uma árvore seca.

 Os diferentes diante de Deus – Salomão tinha razão quando escreveu o livro de
Eclesiastes e disse: O que foi, isso é o que há de ser; e o que se fez, isso se fará; de modo que nada há de novo debaixo do sol. Há alguma coisa de que se possa dizer: Vê, isto é novo? Já foi nos séculos passados, que foram antes de nós (Ec 1.9,10). Quando pensamos que a sociedade já havia superado os exageros nacionalista, os racismos e intolerâncias e havia até pregoeiros de um tempo de aceitação e convivência com o diferente, a gente percebe que não é bem assim. Por todos os lados e em diversos continentes e sem deixar de fora nações e povos considerados “cultos, abertos e tolerantes,” mas que estão sofrendo as mesmas coisas que nos demais. Estou tocando nisso, porque o texto de hoje nos trás a dois dos potenciais alvos de discriminação e reações sociais modernas. Já houve tempos em que os estrangeiros eram bem-vindos, para enriquecer a cultura, os valores e até mesmo ajudar a adensar a população e trazer desenvolvimento. Bons tempos aqueles! Como vou ficar apenas na abordagem devocional do texto, fico bem à vontade para mostrar as coisas do ponto de vista bíblico e consequentemente de Deus. Sempre houve pessoas vivendo em terras alheias; imigrantes, desterrados, aventureiros, exilados, nômades e uma grande lista. Há casos em que por instrução divina, pessoas saíram de suas pátrias e famílias e foram viver fora e alguns que nunca mais voltaram. Posso citar Abraão, Isaque, Jacó, José e depois todo o Israel; os hebreus viveram setenta anos ou mais no cativeiro, bem longe de sua pátria; o próprio Senhor Jesus na sua infância teve que viver na África (Egito). Gostamos da linda história de Rute, a moabita que entrou para a linhagem real e é uma das ancestrais de Cristo. Deus ama o estrangeiro e cuida deles, sempre foi assim: Também não oprimirás o estrangeiro; pois vós conheceis o coração do estrangeiro, pois fostes estrangeiros na terra do Egito” (Êx 23.9). Outro caso citado aqui, é o dos eunucos, e vou ficar dentro do contexto cultural bíblico, onde essas pessoas existiam em considerável quantidade e exerciam importantes papeis sociais. Uns por escolha pessoal, outros por questões religiosas como votos, sacerdócio e etc. e também havia outros em que essa condição foi imposta pela violência ou condição de escravidão. Jesus certa vez falou algo sobre isso: Porque há eunucos que assim nasceram do ventre da mãe; e há eunucos que foram castrados pelos homens; e há eunucos que se castraram a si mesmos, por causa do reino dos céus. Quem pode receber isto, receba-o (Mt 12.19). O texto profético deixa a entender que pessoas piedosas, que amavam a
Deus e ansiavam por viver plenamente sua fé e dedicação, enfrentavam problemas com os “Normais” que certamente tinham textos e mais textos bíblicos para lhes jogarem na cara, de como eles não tinham direito e herança em Deus e na fé. Não muito diferente do que constantemente vemos pessoas afirmarem serem elas as únicas portadoras da bênção, da unção, da autoridade divina, que sua igreja ou denominação é a única certa, se não for dali, ninguém entrará no céu; só nós estamos certos e todos os demais são lobos e aproveitadores e tantas outras atrocidades que temos visto e ouvido. Todos conhecemos pessoas que ficaram restringidos nos seus direitos e convicções por razões que fogem ao seu alcance e nem por isso são ou serão desfavorecidas por Deus. Posso citar casos por exemplo, de pessoas que acreditam na importância do casamento, família, ter filhos e etc. e as vezes teve que assumir o papel de provedor da própria casa dos pais, com irmãos menores e etc. em condições tão adversas, que não pode ter a sua própria casa. Pessoas que desejavam ter filhos e descobriram-se impossibilitados, por doenças, anomalias genéticas natas ou adquiridas. Pessoas que por amor e obediência a uma chamado vocacional, ficou restringido em certas áreas que em outras situações seriam vividas plenamente. Para estas e tantas outras situações, veja que Deus diz através de Isaías, que ele pessoalmente vai cuidar de abençoar vocês e recompensar a fé e esforço, sem terem negado ou aberto mão da fé e da santidade. No futuro de vocês, gringos, todos seremos cidadãos de um reino único, justo, acolhedor e no trono terá alguém que passou por isso, também foi rejeitado, maltratado e desdenhado, então ele sabe como é para vocês. Aqueles que não puderam perpetuar seus nomes pela linhagem natural de filhos, o Senhor promete contornar isso, de forma tão justo, abençoadora e reconfortante que valerá a pena, tudo o que fizeram e passaram. Ninguém entende mais de gente do que aquele que cremos como Senhor de todos. Fica firme, desanima não!

Pai, obrigado, pois foste o criador de povos, nações e etnias, então sabes a importância delas e o mal que a segregação e o preconceito faz as pessoas. Tua fidelidade contempla aqueles que foram cerceados nos seus direitos e privilégios naturais. Obrigado, porque a igreja é local de acolher e receber em teu nome e ajudar as pessoas a serem santas, dignas e se aproximarem mais e mais de ti e dos teus propósitos. Obrigado, em nome de Jesus, amém.

Pr Jason

Nivelar Por Cima

Meditação do dia 13/02/2017    

  Is 55.11 Assim será a minha palavra, que sair da minha boca; ela não voltará para mim vazia, antes fará o que me apraz, e prosperará naquilo para que a enviei.

 Nivelar por cima – Aprendemos na vida estudantil que uma boa média nas notas só possível quando todos os números são altos; notas irregulares, dá media abaixo da maior; então o segredo é “gabaritar” todas. O profeta Isaías transmitiu um ensinamento divino da maior grandiosidade ao alcance dos mortais aqui na terra. Saber aproveitar o ensino via comparação é crucial. Trato desse assunto sempre que ensino sobre o valor da meditação bíblica e não encontro um campo mais fértil a ser explorado do que esse texto aqui. Começando no verso oito, Deus revela o tamanho do abismo existente entre o divino e o humano. Todos sabemos que os pensamentos são ilimitados, pode-se voar alto e realizar muito, se os pensamentos forem grandes o suficiente; Mas inda assim os pensamentos e caminhos humanos são muito diferentes dos pensamentos e caminhos divinos. No verso nove fica exposto a mais que astronômica diferença, caso fosse possível estabelecer medidas entre pensamentos e caminhos divinos e humanos. Nunca os humanos conseguirão atingir o padrão divino, jamais subirão a tal nível, afinal ele é Deus e nós somos homens finitos e limitados. É então que no verso dez o Senhor utiliza de uma figura por demais simples e conhecida dos homens e de fácil compreensão: a chuva e a neve e suas utilidades na vida das pessoas. Elas descem do céu, no tempo certo, irriga a terra, refrigera a temperatura, normatiza as estações e determina as semeaduras, florescimento, frutificação, colheitas, alimentação e assim regula a vida e a qualidade de vida das pessoas. Tudo conforme a vontade e a permissão de Deus; no devido tempo elas retornam ao céu e o ciclo reinicia, é assim que gira o mundo. Não depende de ser culto, profissional, formado e pós-graduado em ciências naturais para saber disso. Aí Deus entra com a similaridade entre a ação das chuvas e neve para a vida física, e a ação espiritual da sua palavra na vida de quem a acolhe. Porque em ambos os casos, a vontade e a determinação de Deus prevalecem através dos princípios. Os Caminhos e os pensamentos de Deus são muito elevados em relação aos nossos e é muito evidente que Deus não vai rebaixar seu padrão para tornar-se compreensível aos humanos. Pelo instrumento da fé, o Espírito Santo utiliza a Palavra de Deus para elevar os pensamentos e os caminhos dos homens a níveis superiores, crescentes, ascendentes, até que consigam “falar a mesma língua.” A Meditação bíblica contínua, séria e piedosa, transforma a vida da pessoa. Ser cheio da Palavra nivela o pensamento do leitor com o do autor e a influencia da Palavra de Deus e simplesmente fantástica. Observe em sua própria vida e experiência. Só de se converter e ouvir a Palavra nos cultos já produz uma revolução na vida e na mentalidade da pessoa; agora imagina o efeito de uma programação metódica, bíblica, e levada à sério, de forma intencional para o crescimento de um cristão. Vou fechar levando você a comparar dois textos: E Jesus disse-lhe: Se tu podes crer, tudo é possível ao que crê.(Mc 9.23) E Jesus, porém, olhando para eles, disse: Para os homens é impossível, mas não para Deus, porque para Deus todas as coisas são possíveis (Mc 10.27). Se para Deus todas as coisas são possíveis e Se tudo é possível a quem crer, Qual a diferença entre os dois, nesse sentido? É isso aí! Então, meditar é uma boa!

Pai, obrigado por ser Deus e mais ainda, o meu Deus em quem posso confiar, porque a tua Palavra assim me instrui. Graças por ela ser viva e eficaz, profundamente penetrante na minha essência e podendo assim agir poderosamente operando a sua vontade. Em nome de Jesus, amém.

Pr Jason

Se Preparando Para Crescer

Meditação do dia 12/02/2017    

  Is 54.2 Amplia o lugar da tua tenda, e estendam-se as cortinas das tuas habitações; não o impeças; alonga as tuas cordas, e fixa bem as tuas estacas.

 Se Preparando para Crescer – Provavelmente a mais de um século, a sociedade tem experimentado progressos notáveis em diversas áreas. O advento da industrialização, as linhas de produção, linhas de montagens de tudo e em tudo, a mecanização, agora a digitalização, a comunicação em tempo real e as transferencias de dados de altíssima velocidade e precisão, e muitas outras coisas que vocês podem lembrar aqui e acrescentar, tornam nosso mundo um grande laboratório, campo de pesquisa e experimentos como nunca antes. As corporações foram se tornando megas e tudo hoje é muito: Muito rápido, muito grande, muito pequeno, muito acessível, muito seguro, muito inseguro e etc. A fé e a igreja em termos cristãos, até certo ponto acompanharam esses processos, já que a igreja é formada por pessoas e elas tem perfis que vão de conservadores à inovadores; assim temos grupos na vanguarda, querendo avançar mais, valendo-se de todos os instrumentos e meios que permitam inovar até os conservadores que insistem em não mexer em nada, pois se deu certo assim desde o começo, porque mudar agora? Claro, no meio tem os adaptáveis e os arrastados e assim a carruagem segue ser curso. Acredito que os princípios que valem para indivíduos, também servem para grupos, corporações, instituições, estados e nações. Onde há sucesso e prosperidade, certos passos e padrões podem ser facilmente detectados; por outro lado, onde há estagnação e fracasso, não é difícil descobrir as amarras e violações de ações que geram energia, movimento, renovação e vida. Então, a igreja e o reino de Deus, no que tange a ações humanas em sua participação e responsabilidades, estão dentro de tais parâmetros. Vemos igrejas vibrantes, vivas, gerando vida e produzindo em larga escala e vemos igrejas atrofiadas, necrosando e perdendo espaço e influencia até desaparecer de vez, outras sobram a história, a memória es estruturas físicas do que já fora uma força influenciadora. A voz profética de Isaías embora seja promessas, mas estão diretamente ligadas a ações que precisam ser empreendidas, senão a imobilidade permanece ou a regressão aumenta. Começa por ampliar atenda; entenda como lhe convier, mas tem que aumentar, fazer crescer, aumentar o espaço à ser utilizado, o que indica uma certa visão de futuro. Estender as cortinas das habitações; literalmente eles muitos viviam em tendas e barracas; então tem à ver com mais moradias, mais pessoas participando, mais vidas envolvidas, bairros, vilas, conjuntos condomínios e etc. e observe o pedido para não impedir esse passo. Outro passo é alongar as cordas, se vamos aumentar a capacidade, vai demandar mais estruturas de sustentação e apoio, especialmente contra forças oponentes, vendavais, tempestades e imprevistos. Para finalizar, fixar bem as estacas. Não basta ter as estacas no lugar, elas precisam estar bem fixas, e para isso é preciso conhecer e estudar o solo onde se está fixando seu empreendimento. Há igrejas e ministérios que tem qualquer coisa que você perguntar, que a Bíblia recomenda ou ordena, mas em que bases? Quão profundas? Como foram fixados esses valores? Nem porque você diz que tal coisa é aquilo, que realmente seja. O que você chama de “ensinamento” é realmente ensinamento? O que você diz ser “treinamento”, de fato é treinamento? O que se denomina “liderança capacitada” é isso mesmo, ou é o que você diz, com suas próprias bases e fundamentos sem fundamento nenhum? Pense à respeito!

Senhor, a tua Palavra é clara, simples, viva e eficaz, e o que fica fora disso, são no máximo argumentação e conceitos. Verdade mesmo, é o que o Senhor diz, e nisso podemos firmar nossa fé e nossas ações ministeriais. Em nome de Jesus, amém.

Pr Jason

Como Um de Nós

Meditação do dia 11/02/2017    

  Is 53.3 Era desprezado, e o mais rejeitado entre os homens, homem de dores, e experimentado nos trabalhos; e, como um de quem os homens escondiam o rosto, era desprezado, e não fizemos dele caso algum.

 Como Um de Nós – Tratando igualitário é as vezes justos e em outras completamente injusto; até dizem em relação aos pais que uma das coisas mais desiguais que eles cometem é tratar iguais todos os filhos. Em termos até divertidos e jocosos, os brasileiros alimentam a chamada “Guerra dos sexos,” onde a ambos os lados puxam a brasa para o seu churrasco, pois as mulheres afirmam que todos os homens são iguais e eles, claro não entendem, se são todos iguais, porque então elas escolhem? Do outro lado os varões afirmam que elas são tão são todas iguais e só variam o endereço, e igualmente eles vivem fazendo escolhas; não dá mesmo para chegar a um acordo. Mas levando o assunto para um campo mais importante, em termos de condições espirituais aí sim, todos os homens foram nivelados por baixo por causa dos seus pecados e vida alienada de Deus. Quando o Messias profetizado foi apresentado por Isaías, ele foi colocado “como um nós!” Como assim? Entre as tantas nuances que se pode inferir e afirmar sobre sua pessoa, se papel entre os homens, a revelação bíblica não o coloca em vantagem sobre os demais humanos. Ele não era de estatura tão avantajada como o rei Saul; não era tão belo e celebrado como Absalão e sua cabeleira; não era um fortão musculoso como se deduz de Sansão; não era ágil e atleta como Azael, um soldado de e primo do rei Davi, descrito como muito veloz; não seria um atirador tão bom de pontaria, como um daqueles quatrocentos benjamitas, que atiravam pedras com uma funda em fio de cabelo e não erravam; Não deveria se parecer com um gênio das letras e culturas como Saulo de Tarso; também não creio que era um baixinho como Zaqueu! Como era então? Como um de nós, um homem comum, que no meio das multidões e na vida do dia a dia não chamava a atenção. Até existe descrição que demonstra que pessoas ficavam até admirados quando ele se revelou no início do seu ministério, pois até então era apenas Jesus, o filho do carpinteiro José e da dona Maria ali de Nazaré. E, chegando o sábado, começou a ensinar na sinagoga; e muitos, ouvindo-o, se admiravam, dizendo: De onde lhe vêm estas coisas? e que sabedoria é esta que lhe foi dada? e como se fazem tais maravilhas por suas mãos? Não é este o carpinteiro, filho de Maria, e irmão de Tiago, e de José, e de Judas e de Simão? e não estão aqui conosco suas irmãs? E escandalizavam-se nele (Mc 6.2,3). Tanto isso é verdade, que as autoridades religiosas na época da sua prisão e morte, tiveram que subornarem um dos seus para que pudesse traí-lo entregando-o. Na ocasião lá no Jardim, Judas chegou e beijou a Jesus, como sinal identificador de quem era o mestre entre os discípulos. Hoje, graças a sua obra redentora, “como um de nós” já tem outro significado. Ser um com o filho de Deus, ser um no Corpo de Cristo, já é uma distinção enorme e que nos diferencia muito dos demais. Viva essa experiência de “ser um como nós” dentro da Nova Aliança.

Graças, Senhor, por ter aberto mão de quem tu eras de fato, para que hoje possamos ser quem de fatos somos. Obrigado pela nova identidade, pela nova vida e os novos propósitos que vão muito além do que podemos ver, sentir ou perceber apenas com os sentidos físicos. Obrigado por dar uma fé poderosa e uma esperança que não se desvanece. Obrigado, por ser um como nós e agora podemos ser um como o Senhor! Amém!

Pr Jason

Desfigurado

Meditação do dia 10/02/2017    

 Is 52.14 Como pasmaram muitos à vista dele, pois o seu parecer estava tão desfigurado, mais do que o de outro qualquer, e a sua figura mais do que a dos outros filhos dos homens.

 Desfigurado – Entre as descrições proféticas que temos da pessoa do Messias, que são muito poucas em termos de mostrar sua aparência física, o suficiente para traçar um perfil ou um retrato falado dele, essas de Isaías são as mais precisas. Mas na verdade essas descrições levam mais em conta os aspectos de seu sofrimento e como isso transparecia nele, se comparando com outras pessoas. A razão de tal abatimento se deve ao peso da responsabilidade de carregar sobre si os pecados e todas as suas consequências para a humanidade. O redentor, teria mesmo que ser alguém forte, determinado a cumprir o papel único que reataria o relacionamento dos homens com Deus, rompido desde a queda de Adão. Jesus de fato se tornou homem, e identificou-se com o que é ser um homem, uma pessoa humana, vivendo num mundo criado para ele, mas dominado pelo mal e mantendo em estado de escravidão todas as pessoas. A realidade do sofrimento, das doenças, dos males morais e sociais que pesavam sobre a raça toda, tinha que ser absorvido num ato de sacrifício, como prefigurado pelos holocaustos de animais que eram vitimados e colocados no altar e consumidos pelas chamas do fogo sagrado, propiciando assim o perdão de Deus. Um animal inocente representava um indivíduo arrependido e desejoso de reconciliação, mas era um alusão temporária a um sacrifício definitivo, de um substituto melhor, mais perfeito, mais santo e mais identificado com a causa não de um indivíduo, mas de toda uma raça, de uma vez para sempre. Nesses sacrifícios, porém, cada ano se faz comemoração dos pecados, Porque é impossível que o sangue dos touros e dos bodes tire os pecados. Na qual vontade temos sido santificados pela oblação do corpo de Jesus Cristo, feita uma vez (Hb 10.3,4,10). Nosso bem estar, saúde física e emocional, são também frutos da renuncia de Cristo de aspectos de sua vida redentora. A salvação para nós, é bem mais do que simples ingressos, ou bilhetes para um dia termos acesso ao céu e a um paraíso, como se fosse um parque de diversão, dado como recompensa pelos pais às crianças que se comportaram bem. Para valorizar é preciso compreender e desfrutar em plenitude. Gostaria muito que os cristãos não se contentassem em ser apenas membros de igrejas, parte de uma denominação, mas se vissem como realmente são, participantes do corpo de Cristo, partes integrantes de um projeto muito maior, eterno e muito bem conduzido pelo Pai. Crescer espiritualmente e amadurecer não pode ser levado apenas como saber versículos de memória, como dirigir uma reunião ou orar algumas palavras. Deus nos chamou para mergulharmos de todo no oceano de graça e misericórdia, onde somos transformados de pecadores separados e perdidos, em filhos aceitos e amados, com identidade e propósito, com dons, ministérios e habilidades, para viver e cumprir papeis que fazem diferença. Você foi ou está sendo discipulado por alguém? Faz parte dos seus planos de vida, ganhar pessoas do seu meio e círculo de influencia para Cristo? Já é responsável por alguém no discipulado? Se não, o que está esperando? Mexa-se, faça um propósito para esse ano não passar em vão ou em branco? Se fizer algo diferente, você obterá resultados diferentes. Tudo começa com uma mudança de atitude e tomada de decisão. É para hoje!

Senhor, queremos nos espelhar em ti, que viveu intensamente sua vida e cumpriu cabalmente a missão para a qual vieste a existir nesse mundo. Somos gratos, porque devido a essa dedicação, hoje somos filhos, amados, aceitos, acolhidos pelo Pai. Em nome de Jesus, amém.

Pr Jason

Os Resgatados do Senhor

Meditação do dia 09/02/2017    

 Is 51.11 Assim voltarão os resgatados do Senhor, e virão a Sião com júbilo, e perpétua alegria haverá sobre as suas cabeças; gozo e alegria alcançarão, a tristeza e o gemido fugirão.

Os Resgatados do Senhor – Costuma-se ler as Escrituras e ver as promessas e palavras como uma verdade virtual, isto é, “está ali,” mas não está; outros jogam logo tudo para o campo de que se trata de figuras de linguagens, ou são aplicações de cunho moral, baseados em histórias… Certamente não acreditamos nesses modos de ver as Escrituras; para mim, e a maioria dos cristãos de fé ortodoxa, a Bíblia é a Palavra de Deus! A nossa única regra de fé e prática. Também vale muito salientar que a boa interpretação de texto exige que se leve em conta o texto e seu contexto, seja ele remoto ou imediato, quer histórico, cultural, autoria, propósitos época, datas e por aí. Mas não se discute a autoria, a inspiração e a autoridade dela. Falando em contexto, é bom lembrar que originalmente, tanto o Velho quanto o Novo Testamentos, foram produzidos como Literatura Oriental, de povos e autores basicamente do que conhecemos como Oriente Médio. O que quero dizer com isso? Estou afirmando que pessoas orientais, pensam, escrevem, vivem num contexto oriental. Cada a nós, leitores, tradutores, intérpretes, estudiosos ou apreciadores, levar isso em conta ao ver as citações e colocações que fazem e o modo como aludem a verdades vistas do ponto de vista de alguém daquela localidade, com aquela cultura e aqueles costumes. Isso também não invalida, nem mesmo dilui o peso e a importância das Escrituras Sagradas, pois o autor por trás é o Espírito Santo que está acima e além de povos, tempos, culturas e costumes, de forma que na Bíblia são trabalhados princípios que são universalmente aplicáveis em todos os tempos e lugares sem prejuízo algum da verdade de Deus. Estou fazendo esta espécie de explicação, pelo fato dos cristãos ocidentais, especialmente nós, que somos populações mais novas em termos de continentes e civilizações e nossas formações se deram por uma grande miscigenação de espécies, que acabou gerando culturas novas, com valores novos e não muito estáveis em termos de durabilidade. Quase tudo para nós fica obsoleto em pouco tempo; e a tendência é transferir isso também para a fé e os valores eternos, como a Bíblia. (Tivemos recentemente, 2015, um deputado federal que defende determinadas ideologias, pedindo a “reforma da Bíblia” porque ela utiliza termos ofensivos à sua corrente de pensamento). Quando cristãos menos avisados leem palavras na Bíblia, é comum interpretá-las meramente com a cabeça de um brasileiro, do século 21, com sangue tupiniquim e mente “meio globalizada;” outros usam “óculos com lentes evangélicas” que mostram tudo só desse ponto de vista, e alguns até tem certeza que a única igreja certa e que prega a verdade é aquela que ele frequenta; mesmo que ela tenha menos de trinta nos de fundação.  Muitas promessas para serem cumpridas em Sião, (Monte lá em Jerusalém); tem a ver com o povo de Deus, literalmente Israel e extensivamente a igreja, que é composta de salvos e participantes de uma nova aliança com o Deus de Israel, validada pelo Messias de Israel, que é também o Cabeça da Igreja, Rei dos reis e Senhor dos senhores, Jesus Cristo, o nosso salvador. A redenção tem à ver com a salvação e a restauração dos judeus e tem também parte e participação dos salvos de todos os tempos, que obviamente extrapola dualidade Israel e igreja; pois Deus tem alcançado vidas em todo tempo e lugar e isso também não se discute. Muitos gostam de ver o “circo pegar fogo,” mas nós queremos ver é o arraial do Senhor montado, repleto de remidos celebrando com gozo, alegria e muita festa, sem qualquer tipo de discriminação, pois ali o que vale é o que está escrito na identidade: Filho, salvo pela graça, mediante a fé em Cristo!

Pai, obrigado por tornar-se tão imprescindível em nossas vidas, através de Jesus Cristo e de sua obra redentora. Sou grato pela salvação, pelo perdão dos meus pecados e pelos benefícios que já posso desfrutar com a comunhão com o Senhor. Espero por esse dia em que os remidos do Senhor estejam reunidos para a grande celebração, a maior de todos os tempos, graças a misericórdia e ao amor que tens demonstrado para com os pecadores perdidos e encaminhando-os à salvação, pela fé em Jesus. Em nome dele é que oramos, amém.

Pr Jason